05/11/2014

Eco

Ha no mundo contemporâneo uma avalanche de  ideias, sons e imagens que carregam muitas vezes conteúdo toxico e que o sujeito que esta no mundo mal consegue escapar, porque não tem como ligar  nossos sistemas de  filtragem  natural, em constante estado de vigília  .

Então coisas  são internalizadas ,antes que possamos se quer desejar que assim seja, ou que tenhamos a chance de impedi-las de fazer registro no nosso eu . Por exemplo, quando mudamos de canal e vemos a imagem de um jornalista sendo decapitado, não ha como fugir,podemos ignorar mas ela já fez seu registro ,nos tornamos cúmplices ,assassinos e vitima, alem da banalização da violência algo mais tétrico se processa e nos deforma.


Quando ao menos se consegue dar um significado, que se adeque ao nosso processador interno, não temos tanto com que nos preocupar, mas também ha sua forma singular de representação, e uma capacidade de absorção individual que difere de pessoa a pessoa, o que pode tornar o ser refratário de si mesmo ,pois alem daquilo que ele consegue apreender na consciência existem as marcas que se aderem em sua Estrutura de Pensamento e fazem eco sem que o sujeito  perceba a fonte de tal consequência ou resposta.Estando no mundo não ha como fugir dele.




Nenhum comentário:

Postar um comentário