29/05/2012

O Mundo é Minha Representação


RESENHA COMENTADA 
“ O Mundo Como Vontade e Representação”- Schopenhauer-



A hipótese de que o mundo é a ideia que cada um faz dele,  estanque surge das concepções de Schopenhauer, partindo da formação interna do pensamento, inaugura uma nova proposta para analisar como as ideias se dão.
Para entender as construções mentais o filosofo propõe ser a consciência a superfície da mente ou aquilo que podemos conhecer da mesma. Sobre o consciente e o inconsciente está a vontade que comanda e determina todos as construções mentais. Esta vontade mobiliza o homem, determina seus movimentos suas buscas seus prazeres, ela é o desejo de vida, é cega irracional e tem um fim único: ela mesma. A vontade de vida é a força motriz da existência humana enquanto espécie, nossa mente não passa de um mero instrumento para seus propósitos, manifestos em nossos desejos. A ironia, que denuncia a consciência limitada aos caprichos da vontade, leva Schopenhauer a definir o homem como um animal metafísico, enquanto os outros animais vivem seus desejos sem os limites das ideias e dos conceitos.
Para Schopenhauer quanto mais o homem for refinado em suas faculdades intelectuais mais sentirá dor, porque a consciência do desejo é também a consciência da falta, ou seja, a idéia da falta é mais uma vez a falta representada.
O conhecimento filosófico, enquanto experiência e pensamento, pode ir libertando a mente, para a visão das essências ou das idéias mais claras. O gênio é aquele que na imparcialidade livre dos comandos da vontade consegue ter a visão do universal , do que é claro e essencial. Mas será mesmo valida uma existência intelectual sem desejo sem paixão? Será ele Schopenhauer um domador de sua própria decepção e esta, em si não seria sua própria paixão? Uma frustração que move sua mente para procriar ideias é diferente em essência da paixão que move o homem a procriar outros iguais? Um homem diante de suas impossibilidades para se relacionar e procriar não estaria também criando através do desenvolvimento focado do intelecto, um caminho para cumprir aquilo que ele mesmo (Schopenhauer) denominou como vontade de viver?

9 comentários:

  1. E também alguém pode escolher conscientemente abandonar as idéias racionais e desenvolvimento do intelecto para fugir das dores provocadas por esse caminho e escolher o caminho da paixão e desejo mais primal??

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Certamente esse alguém estaria seguindo o caminho mais natural,pois ele usaria a razão e direcionando sua estrutura para lugar que ela quer estar..

    ResponderExcluir
  4. Existe razão até nos mais primários instintos.Eles são acionados quando o cérebro dá o aval

    ResponderExcluir
  5. Concordo 100% com você ,caro Anonimo. A razão existe a serviço de nossas demandas e mais, ela não é só cognitiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser amigo da razão pra que possamos realizar nossas demandas precisa estar num grau de amadurecimento bem avançado. A propósito, pq tem tanto tempo sem escrever como Rainha Profana?Última data de 2009..

      Excluir
    2. Ola Paulo, ser amigo da razão é um grande caminho para muitas coisas..// Estou com problemas para acessar o Rainha Profana,me auto deletei dele sem querer e não consigo mais acessar, estou tentando recuperar as senhas mas perdi o loguim etc..a criadora perdeu a criatura..rsr

      Excluir
  6. Como qualquer outro ser vivo lutamos a cada minuto para viver, mas somos os únicos seres que pensam nisso e se preocupam além, ainda me pergunto se isto é vantagem rsrsrs, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dea, essa é a minha pergunta também..tenho muitas duvidas sobre isso.Obrigada pela visita!! bjs

      Excluir